Devemos tratar 100% das Não Conformidades ou não?

Devemos tratar 100% das Não Conformidades?

A finalidade da Avaliação de uma Não Conformidade é identificar dados e informações para auxiliar na tomada de decisões, com base nos resultados da análise das não conformidades, sobre quais destas não conformidades devem ser tratadas ou não e,  caso a decisão seja pelo sua resolução, é necessário definir sua respectiva prioridade para a implementação do seu tratamento.

Este tipo de avaliação buscar focar e aproveitar melhor os recursos das organizações: Em algumas situações, por exemplo, o custo de tratamento de uma não conformidade pode envolver um investimento desnecessário ou que naquele momento, a organização não dispõe deste valor por outras prioridades ou outras questões.

A avaliação no tratamento de uma não conformidade pode envolver o nível de risco em tomar uma decisão, por exemplo, pelo não tratamento de  uma não conformidade, uma falha, um desvio e permitir que a organização conviva com uma falha em questão.

Nessa etapa, portanto, é importante compreender o nível do tipo de desvio ou não conformidade em análise para tomar decisões acerca dos fatores e dados analisados, em especial:

(a) se uma determinada falha ou não conformidade precisa de tratamento e a prioridade para isso;

(b) se uma determinada atividade deve ser realizada ou descontinuada; e

(c) se controles internos devem ser implementados ou, se já existirem, se devem

ser modificados, mantidos ou eliminados para tratar a não conformidade

Uma boa prática para apoiar o processo de avaliação de não conformidade é estabelecer critérios para priorização e tratamento associados aos níveis de falhas (nível recomendado de atenção, tempo de resposta requerido, quem deve ser comunicado etc.). Segue-se um exemplo simples:

2 comentários em “Devemos tratar 100% das Não Conformidades ou não?”

Deixe uma resposta para Alexandre Simoes Jorge Cancelar resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.