O que é Planejamento Estratégico?

Planejamento Estratégico, considerando a definição conceitual da Fábio Hekel, pode ser considerado como o conjunto de mecanismos sistêmicos que utiliza processos metodológicos para contextualizar e definir o estabelecimento de metas, o empreendimento de ações, a mobilização de recursos e a tomada de decisões, objetivando a consecução do sucesso.

O tema Planejamento Estratégico é um tema importantíssimo dentro da Gestão das Empresas, independente do seu porte e do negócio de atuação, que faz parte dos requisitos normativos das normas de gestão. Neste texto, a ELEMENTHUS propõe uma metodologia simples e objetiva, em 4 etapas, para elaboração do Planejamento Estratégico do seu negócio ou empresa:

ETAPA 1 – Análise do Negócio

A Análise do Contexto Interno e Externo permite a ORGANIZAÇÃO a levantar e obter informações necessárias e úteis para definir a sua estratégia de acordo com os propósitos de negócio, ou seja, sua Missão, sua Visão e Valores.

A ORGANIZAÇÃO determina questões externas e internas que sejam pertinentes para o seu propósito e para seu direcionamento estratégico e que afetem sua capacidade de alcançar os resultados pretendidos de seu sistema de gestão. A organização deve monitorar e analisar criticamente informação sobre essas questões externas e internas:

Questões internas:

A ORGANIZAÇÃO defini sua identidade organizacional:

  • Missão | a razão de ser da ORGANIZAÇÃO é…
  • Visão | como queremos que a ORGANIZAÇÃO seja reconhecida
  • Valores| O que é inegociável para a ORGANIZAÇÃO?

Questões Externas:

  • Foco: o que a ORGANIZAÇÃO faz e para quem?
  • Comercial: qual é o principal canal de vendas da ORGANIZAÇÃO?
  • Abrangência: qual é a região de atuação geográfica da ORGANIZAÇÃO?
  • Força de Trabalho: qual é o tipo da força de trabalho da ORGANIZAÇÃO?
  • Poder de negociação dos fornecedores: Qual é a dependência que possui dos fornecedores? Eles têm alto poder de negociação junto a ORGANIZAÇÃO?
  • Poder de negociação dos clientes: Qual é o poder de negociação dos seus clientes? Devido a fatores externos, eles conseguem manipular seu preço?
  • Produtos Substitutos: Quais são os produtos/serviços que possuem o mesmo objetivo do seu foco e podem substituir a entrega da ORGANIZAÇÃO?
  • Posicionamento junto aos concorrentes: Qual é o tipo de relação que existe entre os concorrentes?
  • Relacionamento com a Comunidade: Qual é o tipo de relação com a comunidade?
  • História com Órgãos Públicos: Como está estabelecida a relação e como é o histórico da relação com os principais órgãos públicos?
  • Foco Ambiental: Como está estabelecida a visão da organização e as questões ambientais da ORGANIZAÇÃO?

As Questões internas e externas podem incluir fatores ou condições positivos e negativos para consideração. O entendimento do contexto externo pode ser facilitado pela consideração de questões provenientes dos ambientes legal, tecnológico, competitivo, de mercado, cultural, social e econômico, tanto internacionais, quanto nacionais, regionais ou locais. O entendimento do contexto interno pode ser facilitado pela consideração de questões relativas a cultura, conhecimento e desempenho da organização.

Devido ao seu efeito ou potencial efeito sobre a capacidade da ORGANIZAÇÃO para prover consistentemente produtos e/ou serviços que atendam aos requisitos do cliente e aos requisitos estatutários e regulamentares aplicáveis, a ORGANIZAÇÃO determina:

a) as partes interessadas que sejam pertinentes para o sistema de gestão;

b) os requisitos dessas partes interessadas que sejam pertinentes para o sistema de gestão.

A organização deve monitorar e analisar criticamente informação sobre essas partes interessadas e seus requisitos pertinentes.

ETAPA 2 – Contexto

A Análise de Estratégia da ORGANIZAÇÃO pode ser conduzida com uma Matriz SWOT onde ficam definidas:

  • Forças
  • Fraquezas
  • Oportunidades e
  • Ameaças

A análise do ambiente interno determina suas forças e fraquezas. E a análise do ambiente externo é que possibilita a definição das oportunidades e ameaças. O ambiente interno é definido como aquele sobre o qual a ORGANIZAÇÃO tem controle. Isto é, tem como agir sobre ele. Portanto, todos os fatores sobre os quais é possível intervir são parte do ambiente interno, como: Sua equipe, políticas de vendas, tecnologias empregadas, softwares e sistemas de gestão, carteiras de clientes, a cultura organizacional, capacidade de investimento etc.

  • Forças: elementos e características de seu ambiente interno da ORGANIZAÇÃO que representam uma vantagem sobre a concorrência.
  • Fraquezas: de forma análoga, as características e elementos de seu ambiente interno da ORGANIZAÇÃO que desfavorecem sua empresa em relação à concorrência são suas fraquezas. Perceba que a empresa tem controle sobre essas fraquezas e pode tentar mudar isso de alguma forma, mesmo que seja algo de pouca significância.

O ambiente externo: fatores sobre os quais a ORGANIZAÇÃO não tem controle, como o clima, taxa de juros, mudanças de legislação, câmbio, embargos econômicos, crises econômicas, eleições etc.:

  • Oportunidades: sempre que um fator externo cria um cenário favorável para a ORGANIZAÇÃO, ele representa uma oportunidade.
  • Ameaças: todos os elementos ou conjunturas que ORGANIZAÇÃO não tem controle são ameaças para o negócio.

A ORGANIZAÇÃO analisa pelo menos 5 fatores para cada bloco de análise: Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças. De acordo com a análise de impacto dos fatores, os cenários estratégicos podem ser classificados como:

  • Desenvolvimento: Neste cenário a ORGANIZAÇÃO precisa priorizar o Desenvolvimento de Mercado, de Produtos, Financeiro, de Capacidades, de Estabilidade, Diversificação;
  • Manutenção: Neste cenário a ORGANIZAÇÃO precisa priorizar a Estabilidade, Nicho, Especialização,
  • Crescimento: Neste cenário a ORGANIZAÇÃO precisa priorizar a Inovação, Internacionalização, Parceria, Expansão,
  • Sobrevivência: Neste cenário a ORGANIZAÇÃO precisa priorizar a Redução de custos, desinvestimento, Liquidação do Negócio

ETAPA 3 – Gestão de Riscos & Oportunidades

O processo de gestão de riscos e oportunidades consiste no conjunto de atividades coordenadas destinadas a lidar com eventos que podem afetar a estratégia da ORGANIZAÇÃO, assim como aos objetivos organizacionais.

As etapas desse processo são reconhecer ou identificar riscos e oportunidades; analisar riscos e oportunidades; avaliar e priorizar riscos e oportunidades; responder aos riscos e as oportunidades significativos, mediante controles e outras respostas; e monitorar e analisar o desempenho da gestão de riscos e oportunidades.

A identificação de riscos e oportunidades é o processo de busca, reconhecimento e descrição dos riscos e oportunidades, tendo por base o contexto estabelecido e apoiando-se na comunicação e consulta com as partes interessadas internas e externas. O objetivo é produzir uma lista abrangente de riscos e de oportunidades, incluindo fontes e eventos de risco que possam ter algum impacto na consecução dos objetivos identificados na etapa de estabelecimento do contexto.

A análise de riscos e de oportunidades é o processo de compreender a natureza e determinar o nível de risco e de oportunidade, de modo a subsidiar a avaliação e o tratamento de riscos e das oportunidades.

O risco e a oportunidades são funções tanto da probabilidade como da medida das consequências. Desse modo, o nível do risco e de oportunidade é expresso pela combinação da probabilidade de ocorrência do evento e das consequências resultantes no caso de materialização do evento, ou seja, do impacto gerado pela ocorrência do risco e/ou da oportunidade.

A avaliação de riscos é determinar a significância do nível de risco e oportunidade baseada na análise realizada: Ou seja, é importante focar nos principais riscos e oportunidades. Após, é importante iniciar o tratamento dos riscos e oportunidades para evitar danos ao planejamento e potencializar oportunidades à estratégia da empresa.

ETAPA 4 – Objetivos Estratégicos

É necessário desdobrar a estratégia da ORGANIZAÇÃO para os seus processos. É proposto que este desdobramento seja realizado em 4 perspectivas:

  • Financeira
  • Comercial
  • Operação
  • Pessoas

Nosso plano para cumprir nossa estratégia deve abranger:

  1. O que será feito?
  2. Como medir?
  3. Como avaliar os resultados?
  4. Qual periodicidade?
  5. Quem é o responsável?

Pode ser estabelecido um objetivo ou mais para cada perspectiva descrita acima.

Em caso de dúvida, por favor, entre em contato conosco: Whatsapp 11 9 7207 8715 ou Email: asjorge@gmail.com.

2 comentários em “O que é Planejamento Estratégico?”

Deixe uma resposta para Alexandre Simoes Jorge Cancelar resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.